MyFuture.pt

Estás aqui:

Testemunhos

Testemunho de estudantes deslocados

Natural de Tomar, Vânia Santos escolheu ir estudar para Coimbra em 2011: “Estou a adorar. O facto de viver sem os pais ajudou-me a crescer muito e a conseguir tomar decisões sem ter a necessidade de os questionar, para além de me ter tornado muito mais independente”. Gerir o dinheiro nem sempre é fácil quando não se tem bolsa de estudo, mas Vânia tem alguns truques: “Tive a sorte de arranjar um part-time nas férias que se prolongou para os fins de semana escolares. Não costumo gastar muito até porque não faço grandes compras, e o que preciso do supermercado trago ao fim de semana”. Vânia Santos

André do Carmo é de Santa Iria de Azóia (Loures) mas decidiu ir estudar Animação e Intervenção Sociocultural para Setúbal. No primeiro ano viveu em casa dos pais e diariamente deslocava-se à universidade, mas este ano, 2º da licenciatura, alugou quarto na cidade em que em que estuda. Admite gerir bem os 250€ que tem por mês para “despesas fixas e gastos extra, só compro o que realmente preciso, sempre do mais barato e tenho um mealheiro”. Quando a viver sozinho numa cidade diferente, André faz um balanço positivo: “é um misto de experiências, de um lado a novidade e total liberdade, do outro as saudades e toda uma rotina para trás, mas em geral está a ser positivo e acho que toda a gente devia experimentar”. André do Carmo

 

Testemunho de caloiras

1. O que sentiste quando soubeste onde entraste?
"Uma sensação energética muito boa que nunca senti e provavelmente nunca mais vou sentir. É única e pessoal. Só eu sei o que ela simboliza."

2. Qual a tua expetativa agora, à porta da Universidade? O que contas encontrar?
"Ter um bom aproveitamento, bons relacionamentos e boas perspetivas de futuro."

3. O que queres dizer aos que entraram e aos que (ainda) não entraram?
"Aos que entraram: aproveitem ao máximo porque há muita gente que não se importaria de estar no vosso lugar. Aos que ainda não entraram, não desesperem, a 2ª fase existe por algum motivo e não desvaloriza ninguém."

Inês Melo, Novas Tecnologias da Comunicação na UA

1. O que sentiste quando soubeste onde entraste?
Fiquei extremamente feliz, a sensação é indescritível, especialmente quando se entra na primeira opção. O orgulho em mim mesma e ver que o trabalho que desenvolvi ao longo de 3 anos compensou. Foi, sem dúvida, um dos momentos de maior alegria que experimentei.

2. Qual a tua expetativa agora, à porta da Universidade? O que contas encontrar?
Espero conhecer gente nova, divertir-me e viver uma das maiores experiências da minha vida. Gostava de sobreviver às praxes! Quero alargar conhecimentos e, sobretudo, aproveitar cada segundo na universidade, porque sei que nada será igual. O tempo não volta atrás e sei que a mudança será enorme, mas conto que seja para melhor.

3. O que queres dizer aos que entraram e aos que (ainda) não entraram?
Aos que entraram, muitos parabéns e boa sorte! Sejam felizes e aproveitem ao máximo esta nova etapa. Força caloiros, estamos juntos, somos os melhores! Aos que não entraram, não desanimem, ainda há mais uma fase e se querem mesmo algo, conseguirão entrar, não tenho qualquer dúvida disso. Desistir nunca é solução, lembrem-se disso!

Tânia Freitas, Gestão